Angioplastia e colocação de stent no coração

A angioplastia é um procedimento para abrir vasos sanguíneos estreitos ou bloqueados que fornecem sangue ao coração. Estes vasos sanguíneos são chamados de artérias coronárias.

Também conhecido como: ATC Angioplastia transcutânea coronária, Intervenção coronariana percutânea, Angioplastia com balão, Angioplastia coronária, Angioplastia coronária transluminal percutânea ou dilatação da artéria cardíaca.

Um stent da artéria coronária é um pequeno tubo de malha metálica que se expande dentro de uma artéria coronária. Um stent é frequentemente colocado durante ou imediatamente após a angioplastia. Ela ajuda a prevenir a artéria de fechar novamente. Um stent liberador de fármacos tem um medicamento incorporado que ajuda a evitar que a artéria volte a obstruir a longo prazo.

Entenda melhor sobre a Angioplastia.

Como funciona a Angioplastia

Antes do início do procedimento de angioplastia, você receberá algum medicamento contra a dor. Pode também ser dado um medicamento para relaxar e anticoagulantes, medicamentos para evitar a formação de um coágulo de sangue.

Você vai deitar em uma mesa acolchoada. O seu médico irá inserir um tubo flexível (cateter) através de uma punção em uma artéria. Às vezes, o cateter será colocado em seu braço ou pulso, ou na parte superior da perna ou na virilha. Você estará acordado durante o procedimento.

O doutor usará imagens vivas do raio X para guiar com cuidado o cateter acima do seu coração e artérias. Um contraste será injetado para destacar o fluxo de sangue através das artérias. Isso ajuda o médico a ver quaisquer bloqueios nos vasos sanguíneos que levam ao seu coração.

Um fio guia é movido para dentro da artéria através do bloqueio. Um cateter de balão é posicionado sobre o fio guia na área bloqueada. O balão na extremidade é inflado. Isso abre a parte bloqueada e restaura o fluxo de sangue adequado para o coração.

Um tubo de malha metálica (stent) pode então ser colocado na área tratada. O stent é inserido juntamente com o cateter balão. Expande quando o balão é inflado. O stent é deixado lá para ajudar a manter a artéria aberta.

O stent pode ser revestido com um fármaco (denominado stent eluído de fármaco ou farmacologico). Este tipo de stent pode diminuir a chance de obstrução da artéria no futuro. Atualmente, stents liberadores de drogas são usados apenas para certos pacientes.

Por que o procedimento é executado

Artérias podem tornar-se estreitas ou bloqueadas por depósitos chamados placa. Placa é composta de gordura e colesterol e as vezes cálcio, que se acumula no interior das paredes da artéria. Esta condição é chamada aterosclerose.

A angioplastia pode ser utilizada para tratar:

  • Bloqueio em uma artéria coronária durante ou após um ataque cardíaco
  • Bloqueio ou estreitamento de uma ou mais artérias coronárias que o coloca em risco de ataque cardíaco
  • Estreitamentos que reduzem o fluxo sanguíneo e causam dor torácica persistente (angina) que os medicamentos não controlam
  • Nem todos os bloqueios podem ser tratados com angioplastia. Alguns pacientes que têm vários bloqueios ou bloqueios em determinados locais podem precisar de cirurgia de revascularização miocárdica.

Riscos

A angioplastia é geralmente segura, mas pergunte ao seu médico sobre as possíveis complicações. Os riscos de angioplastia e colocação de stents podem ser:

  • Sangramento ou coagulação na área onde o cateter foi inserido
  • Coágulo de sangue
  • Obstrução do interior do stent (reestenose intra-stent)
  • Danos em uma válvula cardíaca ou vaso sanguíneo
  • Ataque cardíaco
  • Insuficiência renal (maior risco em pessoas que já têm problemas renais)
  • Arritmias
  • Acidente Vascular cerebral (isto é raro)

Referências

Boden WE, O'Rourke RA, Teo KK, et al. Optimal medical therapy with or without PCI for stable coronary disease. N Engl J Med. 2007;356:1503-1516.

Kushner FG, Hand M, Smith SC Jr., et al. 2009 Focused Updates: ACC/AHA Guidelines for the Management of Patients With ST-Elevation Myocardial Infarction (updating the 2004 Guideline and 2007 Focused Update) and ACC/AHA/SCAI Guidelines on Percutaneous Coronary Intervention (updating the 2005 Guideline and 2007 Focused Update): a report of the American College of Cardiology Foundation/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines. Circulation. 2009;120:2271-2306.

Mauri L, Bhatt DL. Percutaneous coronary intervention. In: Mann DL, Zipes DP, Libby P, et al. eds. Braunwald's Heart Disease: A Textbook of Cardiovascular Medicine. 10th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2014:chap 55.

Pfisterer ME, Zellweger MJ, Gersh BJ. Management of stable coronary artery disease. Lancet. 2010;375:763-772.

Wright RS, Anderson JL, Adams CD, et al. 2011 ACCF/AHA focused update incorporated into the ACC/AHA 2007 Guidelines for the Management of Patients with Unstable Angina/Non-ST-Elevation Myocardial Infarction: a report of the American College of Cardiology Foundation/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines developed in collaboration with the American Academy of Family Physicians, Society for Cardiovascular Angiography and Interventions, and the Society of Thoracic Surgeons. J Am Coll Cardiol. 2011;57:e215-e367.