Procedimento pioneiro para hipertensão arterial

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) tem alta prevalência e baixa taxa de controle na população geral. É considerada um dos principais fatores de risco modificáveis e um dos mais importantes problemas de saúde pública. (1)

A mortalidade por doença cardiovascular aumenta progressivamente e de forma linear com a elevação da pressão arterial. O controle adequado da hipertensão arterial sistêmica diminui o risco relativo de morte por causas vasculares, cerebrais e por infarto agudo do miocárdio.  (2)

No Brasil, a prevalência de HAS está acima de 30%, no entanto, apenas 35% dos pacientes hipertensos têm valores de pressão arterial dentro das metas propostas pelas diretrizes. Todavia, cerca de 10% dos pacientes, mesmo com uso adequado de 3 ou mais drogas anti-hipertensivas, não conseguem controlar os valores de pressão arterial. (1)

A estimulação do sistema nervoso simpático (SNS) devido a abundante inervação simpática nos rins, parece ser o fator de manutenção da hipertensão arterial, pois atuam sobre o coração, o sistema nervoso central, os rins e a vasculatura periférica. Desta forma, o SNS eleva a PA tanto em pessoas com a pressão normal como nos hipertensos. Isto ocorre em razão do envolvimento de neuro e quimio receptores. (3)

Alguns  estudos demonstraram que a técnica de denervação simpática das artérias renais é capaz de reduzir a pressão arterial de forma consistente e duradoura. Esta técnica tem se mostrado segura e eficaz, além de ser minimamente invasiva. O procedimento está  associado a baixa incidência de complicações ou de efeitos colaterais e o tempo de recuperação é curto. (4,5,6).

Estudo recente publicado no Lancet deste ano mostrou que a denervação renal como o cateter Spyral resultou em reduções da pressão arterial estatisticamente significativa e clinicamente relevantes aos 6 meses, em pacientes hipertensos não controlados, quando comparados com pacientes com as mesmas características e que não realizaram o procedimento. Ambos os grupos tomavam medicamentos anti-hipertensivos comumente prescritos. A pressão arterial após denervação renal continuou a diminuir entre 3 e 6 meses. (7)

 

Neste sentido, pela necessidade de oferecer uma terapia aos pacientes com hipertensão arterial resistente, além daquela que já vem sendo utilizada sem sucesso, está disponível em Florianópolis o mesmo dispositivo utilizado no estudo Spyral on Med e o Intervencionista está habilitado a realizar este procedimento pioneiro, na tentativa de auxiliar com um melhor controle da pressão arterial e com isso redução de seus danos.



1- Malachias MVB, Souza WKSB, Plavnik FL, Rodrigues CIS, Brandão AA, Neves MFT, et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol 2016; 107(3Supl.3):1-83

2 – 2018 ESC/ESH Guidelines for the management of arterial hypertension European Heart Journal (2018) 39, 3021–3104

3 – Renal Sympathetic Denervation and Systemic Hypertension Michael D, Charles F,  Vasilios P, Am J Cardiol 2010;105:570 –576

4 – Esler MD, Krum H, Schlaich M, Schmieder RE, Böhm M, Sobotka PA; Symplicity HTN-2 Investigators. Renal sympathetic denervation in patients with treatment-resistant hypertension (The Symplicity HTN-2 trial): a randomised controlled trial. Lancet. 2010;376(9756):1903-9.

5- Papademetriou V; Doumas M; Tsioufis K; Renal sympathetic denervation for the treatment of difficult-to-control or resistant hypertension. Int J Hypertens. 2011;2011:196518.

6 – Staico R, Armaganijan L, Moreira D, Sousa M, Borelli F, Amodeo C, Neto JM, Sousa JE, Sousa A, Abizaid A. Denervação Renal com Cateter de Ablação por Radiofrequência de Ponta Irrigada em Hipertensos Resistentes. Rev Bras Cardiol Invasiva. 2014;22(1):73-80.

7- Effect of renal denervation on blood pressure in the presence of antihypertensive drugs: 6-month efficacy and safety results from the SPYRAL HTN-ON MED proof-of-concept randomised trial. Lancet 2018; 391,10137, P2346-2355.